A vez dos condomínios logísticos

Leitura de 6min

O segmento de galpões logísticos, que esteve aquecido durante todo o ano de 2012, promete ficar ainda mais agitado ao longo de 2013.

Uma combinação de fatores, tendo à frente um melhor desempenho da economia brasileira, deve fazer com que a demanda por imóveis desse tipo – e consequentemente seu preço para locação – permaneça em alta.

Uma clara amostra desse aquecimento, que tem como pano de fundo a carência de imóveis com boa localização, é que, atualmente, grande parte do espaço disponibilizado por novos centros logísticos no país é alugado a clientes antes mesmo de sua entrega.

Para fazer frente a essa procura, o mercado projeta triplicar seu estoque atual.

Segundo o levantamento On.point de 2012, preparado pela JLL, mais de 13,2 milhões de metros quadrados serão entregues até 2016. Todo esse movimento tem despertado a atração de fundos de diversas partes do mundo. Esses investidores veem grande potencial de desenvolvimento no mercado local.

Projetos tocados por players importantes como GLP Brasil, Hines, Fulwood, Succespar, ProLogis e GTIS têm movimentado o segmento, o que ajuda a puxar os preços dos imóveis para cima.

Rio de Janeiro e São Paulo concentram mais de 70% dos lançamentos de galpões, mas outros estados, como Pernambuco, em especial na região do porto de Suape, e Curitiba também começam a encontrar espaço em projetos de desenvolvimento.

Na avaliação da JLL, o pacote portuário anunciado pelo governo federal no início de dezembro de 2012, que pode atrair investimentos de até R$ 54 bilhões para melhorias no setor, reforçará essa tendência.

Condomínios logísticos

GLP - Global Logistic Properties – Brasil

GLP – Global Logistic Properties – Brasil

Nem mesmo o modesto crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que deve, segundo projeções do mercado, fechar 2012 com tímida expansão de 1%, será capaz de reduzir o ritmo de procura por novos galpões.

Afinal, essa demanda é sustentada pelo crescimento de renda e consumo acumulado na última década. Esses fatores têm estimulado a chegada de empresas estrangeiras e provocado o interesse pelo lançamento de condomínios logísticos.

Esses imóveis têm como vantagens os fatores custo, conveniência, habilidade de crescer (alugar outro módulo) e segurança. Os imóveis compostos por galpões que podem receber produtos de diversas empresas têm seus custos de manutenção e aluguel divididos entre diversos locatários, o que reduz o valor desembolsado mensalmente.