Absorção bruta elevada de escritórios de alto padrão marca 2016 no Rio e em São Paulo

Leitura de 5min

Área de Pesquisa da JLL resume o que aconteceu no 4º trimestre e em 2016.

A elevada oferta de novos edifícios e os preços baixos movimentaram os mercados imobiliários de alto padrão do Rio de Janeiro e de São Paulo em 2016. É o que mostra as pesquisas First Look Office Rio e First Look Office São Paulo, que acabam de ser divulgadas pela JLL.

Em São Paulo, as empresas aproveitaram o momento favorável para renegociar seus contratos de aluguel ou para se mudar para escritórios novos e ainda economizar. A absorção líquida melhorou ao longo do ano, mas fechou o ano com um saldo negativo de 9 mil m2. Já a absorção bruta chegou perto da média histórica dos últimos 10 anos, atingindo 362 mil m2.”

A boa notícia para os proprietários é que os preços em São Paulo praticamente pararam de cair nas regiões nobres, que concentram 40% do estoque de alto padrão na cidade. A pesquisa First Look Office São Paulo indicou ainda que os developers estão postergando a entrega de novos empreendimentos, como estratégia para evitar custos de um edifício sem ocupação. No 4o trimestre, por exemplo, não houve nenhuma entrega.

No Rio de Janeiro, também houve o adiamento de novas entregas. Em 2016, foram entregues quase 230 mil m2 ao longo do ano, e 52,8 mil m2 foram postergados para 2017. Empresas do setor de energia responderam por 40% das devoluções de áreas ocupadas.”

A disponibilidade de espaços de excelente qualidade e os preços em queda também incentivaram as movimentações de grandes empresas no Rio. A absorção bruta total de 2016 foi de 196,4 mil m2, maior que a média dos últimos seis anos.

Leia as pesquisas First Look Office Rio e First Look Office São Paulo.

Foto: Simone Shoji