O São Paulo Corporte Towers foi o endereço escolhido pela JLL para sua própria sede, na capital paulista. A mudança para o novo escritório foi em julho deste ano, decidida depois de um processo de prospecção que seguiu as mesmas etapas adotadas para atender os clientes.

Mas a relação da JLL com o São Paulo Corporate Towers começou bem antes, em abril de 2014, quando venceu a concorrência para prestar consultoria operacional ao empreendimento, que é composto de duas torres, um prédio técnico e um prédio de amenities.

No São Paulo Corporate Towers somos fornecedores e clientes ao mesmo tempo e vice-versa”, observa o diretor regional de gerenciamento de propriedades da JLL, Fábio Martins.

A equipe da JLL fez a análise detalhada de todos os projetos – hidráulico, de energia, segurança patrimonial, refrigeração e de elevadores, entre outros – e emitiu relatórios validando os processos ou propondo melhorias, considerando a eficiência energética e operacional. Para assegurar um perfeito funcionamento do prédio, o proprietário contratou ainda uma consultoria de revalidação da JLL dos Estados Unidos, que corroborou todas as conclusões e recomendações da equipe brasileira.

Depois, na fase de pré-implantação da Torre Norte e do prédio técnico, a equipe da JLL acompanhou a instalação e os testes de equipamentos, atuou na análise e validação de processos e procedimentos operacionais, selecionou empresas de serviços de segurança, recepção, bombeiros, manutenção e operação. “Fizemos uma seleção rigorosa, buscando profissionais condizentes com o empreendimento”, observa Martins.

Esse trabalho, pouco comum no mercado, começou pouco mais de um ano antes do fim das obras e foi essencial. Sua importância ficou comprovada na implantação. Quando a primeira torre entrou em operação, em junho deste ano, foi um start-up sem nenhum registro de problema relevante, o que significa tranquilidade para o proprietário e um bom serviço prestado aos usuários”, afirma Martins.

Atualmente, a JLL continua fazendo a consultoria de pré-implantação da Torre Sul e do prédio de amenities, que devem entrar em operação em 2016. Responde também pelo gerenciamento da propriedade e pela gestão dos 170 profissionais terceirizados. “Diante do porte e da complexidade tecnológica desse empreendimento, dedicamos uma equipe técnica e administrativa completa, com gerente-geral, gerente técnico, coordenador técnico, coordenador de segurança, coordenador de serviços gerais, coordenador de infraestrutura, analista financeiro e assistente. Em breve, teremos ainda um assistente financeiro e o serviço de concierge”, informa Martins.

Segundo ele, o papel desse time é administrar todas as rotinas e serviços do prédio, com foco em desempenho, qualidade, segurança, controle de custos e satisfação e bem-estar dos usuários. “Como temos nosso escritório no São Paulo Corporate Towers, esse time acaba sendo ainda maior. São muitos olhos de profissionais da JLL voltados para o dia a dia, que podem identificar oportunidades de melhoria e eventuais situações que precisam de uma ação corretiva”, conclui Martins.