Cultura inclusiva da JLL abraça o ‘não’ à discriminação e o ‘sim’ à diversidade

Leitura de 3min

“Não basta apenas dizer não à discriminação. É preciso dizer sim à diversidade.” – Reinaldo Bulgarelli

Para a JLL, diversidade e inclusão não é sobre criar privilégios para alguns, mas sim sobre remover barreiras e garantir o acesso para o pleno desenvolvimento de todas as pessoas. Em outras palavras, representa o seu compromisso em promover oportunidades mais justas e que respeitem todas as pessoas.

Há seis anos, a companhia vem se dedicando a ações que, de fato, não só combatem a discriminação, mas que reconhecem a importância de se ter diversidade.

“O ‘não’ à discriminação sempre existiu na JLL. É algo que consta no nosso código de ética e permeia por toda nossa cultura. Mas entendemos que era preciso avançar e passamos a criar estratégias para estimular os nossos funcionários a dizerem ‘sim’ à diversidade”, explica Thays Toyofuku, gerente de Diversidade e Inclusão (D&I) da JLL no Brasil.

Essa transformação cultural teve início em 2012, com o Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência, que inspirou e abriu caminho para outros temas, como gênero, pessoas LGBT+, raça e refugiados, por exemplo. No entanto, desde o início houve a preocupação em trabalhar a questão da diversidade de forma transversal, ou seja, que não reduzisse o assunto à grupos específicos ou limitasse a uma única característica. Para a empresa, diversidade é entendida como um conceito que engloba todas as pessoas, com suas individualidades, vivências e características, mas que também possibilita reconhecer as desigualdades e, portanto, a necessidade de promover ações específicas para garantir a inclusão social de grupos menos favorecidos.

Para mobilizar e estimular os funcionários a dizer sim à diversidade, a empresa desenvolve iniciativas que levam informação, desmistificam estereótipos e abrem espaço para o diálogo, além de incentivar a formação de grupos de afinidade e assumir compromissos públicos, como a adesão aos 10 Compromissos do Fórum de Empresas e Direitos LGBT+ e ao Pacto pela Inclusão das Pessoas com Deficiência, da Rede Empresarial de Inclusão Social.

Segundo Thays, todo o trabalho da sua área tem o propósito de promover uma cultura inclusiva, que gera cada vez mais engajamento dos colaboradores. “Percebemos que as pessoas estão mais abertas para falar sobre isso e cada vez mais reconhecem a importância de um ambiente inclusivo e que valoriza as diferenças. E, acima de tudo, elas estão entendendo que não precisam mudar seus valores e princípios, mas que precisam apenas ter respeito”, ressalta.

 

Conheça a jornada da JLL no Brasil em prol da Diversidade e Inclusão