Reconhecida globalmente como uma das mais importantes consultorias de investimentos e serviços imobiliários do segmento de real estate, a JLL vem colecionando também em solo brasileiro histórias de sucesso no atendimento a clientes e a suas diferentes demandas. Os resultados se mostram na ponta do lápis – e são impressionantes.

Um dos destaques fica com a área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento. Os números falam por si: só no período entre 2010 e 2011, a área cresceu nada menos que 200%. Para 2012, a previsão é novamente de crescimento. Atualmente, os 50 profissionais do time de Gestão de Projetos e Desenvolvimento atuam em cerca de 60 projetos, em um total de aproximadamente 400 mil metros quadrados e quase R$ 1 bilhão em investimentos sob gestão.

“Nosso diferencial é que fazemos um trabalho de gestão real, 100% colaborativa”, afirma Guilherme Soares, diretor da área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento da JLL desde 2007. “No País, o que existem são gerenciadoras que oferecem algo muito operacional e mais reativo. Elas vão tocando a obra e, lá na frente, descobrem quanto custou e quanto tempo se gastou. Acabam olhando muito mais para o assunto técnico. Nós fazemos o contrário: focamos em estabelecer objetivos, coordenando as ações de todos os envolvidos para que tudo seja o mais absoluto sucesso.”

Segundo Soares, essa particularidade se traduz em oferecer “Project Management de verdade, com foco em resultados”, assessorando o cliente, estabelecendo objetivos factíveis e realizando o projeto dentro dessas metas. “A verdade é que a JLL sabe ser positivamente surpreendente”, concorda Paulo Marchioni, Diretor Regional de Real Estate da Nokia Siemens Networks no Brasil.

O trabalho

A expertise e a excelência da área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento da JLL têm atraído a atenção do mercado. Soluções de gestão de obras de grande porte, implantação de escritórios corporativos e planejamento de ambientes críticos, e Programas Multisites, entre outros serviços, costumam fazer os olhos de clientes corporativos brilharem – em especial por privilegiar aspectos como metas de budget e prazos, e dentro da qualidade esperada.

Os exemplos se contam às dezenas. Alguns já são históricos na empresa, como o caso da construção das primeiras lojas Walmart no Brasil. O trabalho da área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento, realizado com maestria, rendeu um relacionamento de vários anos com o cliente, com a conclusão de mais de 300 mil metros quadrados de lojas e centros de distribuição. O sucesso da parceria, em 2007, proporcionou um programa de reformas de 22 lojas da rede Bompreço, então adquiridas pela varejista norte-americana. “O objetivo era adequar as unidades Bompreço, na região Nordeste, ao padrão Walmart”, conta Guilherme Soares. “Mas esse é apenas um dos muitos casos de sucesso que acumulamos ao longo dos anos. Em um passado mais recente, dois marcos são os projetos criados para a Nextel e para o Deutsche Bank, que demandaram muita mobilização e agilidade para solucionar questões críticas sem comprometer cronogramas ou orçamentos”.

A equipe

Pesquisas da JLL Brasil para avaliação da satisfação dos clientes de Gestão de Projetos e Desenvolvimento têm registrado 90% de feedback positivo. Segundo Soares, além da qualidade dos serviços, o segredo do sucesso é questão de equipe. “Temos um time de 50 profissionais engajados que dão conta de toda a demanda que recebemos”, explica ele. “A JLL é a única empresa de consultoria e gestão imobiliária no Brasil que tem um time de funcionários contratados formalmente em regime CLT, em uma estrutura organizada com cargos, programas de treinamento, benefícios, interface com colegas de outros países e um atendimento de Recursos Humanos. Isso valoriza e motiva o profissional de forma única”, ressalta.

A percepção é compartilhada pelos clientes, a exemplo da Shell. “O interessante no modelo da JLL é que ela traz expertise a nossos projetos desde os primeiros passos”, diz Carlos Corte Real, gerente regional da companhia para América Latina. “Isso faz toda a diferença.”

Para Soares, outro diferencial do segmento de Gestão de Projetos e Desenvolvimento é seu modelo de organização, que prima pelo arrojo. Um ambiente de trabalho colaborativo e a estrutura horizontal dão liberdade e autonomia aos profissionais, proporcionando o empreendedorismo e uma maior integração com outros setores. “Até alguns anos, a área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento era pequena e havia uma interpretação errônea do que fazíamos. Acreditava-se que só cuidávamos de obras. Com o passar do tempo, mostramos nosso valor”, diz ele.

Conseguimos dar roupagem mais clara ao que fazemos, com ênfase na estruturação do plano de negócios e em uma maior proximidade com as decisões estratégicas do cliente. Ganhamos visibilidade e consolidamos a imagem de suporte ao cliente desde o início do projeto. A etapa de obras, mais visível, é apenas uma decorrência de tudo que fizemos nas etapas anteriores”, afirma o diretor.

De acordo com ele, o grande paradigma da área é que ela não exige tanto conhecimento técnico quanto se pensa. Soares explica que o ideal é uma equipe mais generalista, com grande capacidade de comunicação e persuasão, e que tenha disciplina e organização. “Somos os gestores, não os operadores da parte técnica”, diz.

Ele ressalta que existe um modelo de Project Management universal, que funciona muito bem nos Estados Unidos e em outros países, mas é ainda incipiente no Brasil. “Aqui, o mercado é mais reativo e o efeito colateral é que temos, literalmente, de arregaçar as mangas para monitorar, cobrar e colaborar com os prestadores de serviço sob nossa gestão”, enfatiza. “É preciso ir a campo para antecipar problemas e buscar soluções.”

O executivo explica que o departamento foi pró-ativo em 2011. Ao perceber que havia muitas oportunidades no mercado, a empresa apostou na expansão rápida da área, com contratação de novos profissionais e treinamento extensivo. “O departamento de RH esteve presente em todas as etapas do processo. Com isso, estruturamos o time e demos conta do crescimento”, afirma Soares.

Novos rumos

A área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento da JLL passou em poucos anos de uma estrutura inicial pequena e essencialmente focada em interiores corporativos para um setor que hoje atende a diversos segmentos de mercado e soma um portfólio de mais de 60 clientes. Se os números são vistosos, os nomes também o são – no rol de companhias atendidas estão grupos como BP Energy, Microsoft, Philips, Diageo, WPP, Mastercard, Host Hotels & Resorts, Syngenta, Pfizer, entre outros. São nomes de peso nas principais indústrias – Bancos de Investimento, Recursos Humanos, Farmacêutica, Seguros, Tecnologia e Bens de Consumo, entre outras.

O desenvolvimento sem precedentes parece demonstrar que o caminho certo é de mais e mais expansão. Essa noção está estampada nas projeções para 2012.

Vamos manter a diversificação no atendimento às empresas dos diversos setores, ocupantes de imóveis, mas o foco agora é também avançar no trabalho para o investidor de real estate, com atividades de desenvolvimento imobiliário e fiscalização de investimentos”, revela Soares.

Durante este mês de maio, Panorama abordará os diversos trabalhos realizados com os nossos mais variados clientes. Conheça mais também sobre a área de Gestão de Projetos e Desenvolvimentos.