Leitura de 2min

Evento atesta a nítida evolução e amadurecimento do setor nestes últimos 10 anos.

O Fórum de Loteamentos do Sudeste, promovido pelos GRI Brasil, em Campinas, reuniu em junho muitos interlocutores do setor, entre proprietários de terras, desenvolvedores, financiadores, consultores jurídicos, de inteligência de mercado e representantes do setor público em licenciamentos.

Por suas características específicas – alto comprometimento de capital, ciclo longo de desenvolvimento, diversos interlocutores para licenciamento e construção, descasamento entre investimento em infraestrutura e recebimento de venda de lotes/unidades, o Mercado de Loteamentos tem desafios únicos, mas muitas oportunidades.

Os temas expostos abordaram os sinais (promissores) de recuperação no ritmo de protocolos de incorporação, mudanças macroeconômicas e de perfil de comprador, diferenças entre as regiões do país, maior sofisticação dos clientes compradores, e necessidade de planejamento e posicionamento correto do produto, durante todo o ciclo imobiliário.

Este evento atesta a nítida evolução e amadurecimento do setor nestes últimos 10 anos. Se antigamente o modus operandi no setor era de contratos frágeis (com muito distrato e revenda com lucro), desenvolvimento, licenciamento e venda de produtos de forma amadora e uso de capital próprio como principal forma de financiamento, hoje a tônica é de muito maior planejamento e profissionalismo.

Muitas questões de margem, posicionamento comercial, planejamento financeiro e formatos de parceira foram discutidas. Outro ponto interessante é que pelo seu impacto de transformação e foco em cada mercado e realidade microeconômica, esse tipo de atividade imobiliária é menos volátil e sujeita a humores políticos. Talvez essa seja uma das razões pelas quais esse produto tem historicamente despertado o interesse de grupos internacionais em busca de retornos sustentáveis de longo prazo. A perspectiva é de que esse movimento se intensifique, à medida que as taxas de juro se acomodem em patamares de um digito ao ano.

A JLL tem trabalhado em diversas transações e estudos neste setor, assessorando proprietários de terreno, desenvolvedores e investidores. Se você tem interesse em conhecer mais sobre nós e como podemos ajudá-lo em suas necessidades, estamos dispostos a conversar.

 

Roberto Patiño é diretor de Transações da JLL.