Qual é o apreciador de bebidas que não estima um pint de GUINNESS® ou um copo com vodca SMIRNOFF®? Para os mais acostumados, que tal uma dose do uísque JOHNNIE WALKER®? Ter essas bebidas estocadas na estante de casa ou servidas na mesa de um bar só é possível graças à empresa britânica Diageo, responsável pelas marcas e maior fabricante de bebidas destiladas do mundo.

Reconhecidamente inovadora, a empresa fundada em 1997 decidiu apresentar originalidade também em seu escritório de alto padrão, localizado na Vila Olímpia, em São Paulo. Para isso, iniciou um projeto para a expansão e reformulação do seu escritório corporativo com a consultoria da JLL, em 2011.

Na época, a Diageo procurou a JLL com o desejo de expandir as atividades no próprio prédio que já ocupava, o Edifício Continental Square, mas não havia espaço vago no edifício.

Nosso desafio foi entender a ocupação como um todo e pesquisar junto aos locatários e proprietários eventuais disponibilidades em curto prazo. Com isso, identificamos uma possibilidade de expansão no oitavo andar do edifício”, explica Yara Matsuyama, analista da área de Representação de Ocupantes da JLL.

Segundo Yara, era desejável que os escritórios estivessem na zona alta do prédio, uma vez que a Diageo já estava alojada lá. O motivo é que, se a expansão fosse feita na parte baixa do prédio, a logística ficaria prejudicada. O problema foi resolvido com agilidade e senso de organização. A consultoria conseguiu identificar um andar e meio que vagaria na zona alta do prédio e agiu rápido. “Seria perfeito para o cliente”, conta Yara. A JLL entrou em contato com os proprietários dos andares antes da desocupação e negociou a locação do espaço com sucesso.

Yara explica que a transação não foi fácil. Os andares pertenciam a proprietários diferentes, com ideias também distintas. “Foi um jogo de xadrez. Um dos proprietários era mais exigente em termos de valores. O outro era menos envolvido no mercado. Tivemos que conduzir a negociação de forma que não tivéssemos preços muito caros, para que o proprietário menos exigente não aumentasse o aluguel dele no mesmo patamar que o outro. Foi um super desafio”, conta.

O projeto

O projeto de ampliação do escritório da Diageo também foi gerenciado pela equipe da JLL e foi dividido em dois momentos. A primeira fase foi a de expansão e relocação dos escritórios corporativos, feita em três andares, no ano passado. Nesta etapa, o grande diferencial foi a concepção da arquitetura do escritório – todo o conceito foi importado da Tailândia, padrão seguido mundialmente nos ambientes corporativos da Diageo.

A interface sugerida pelos arquitetos asiáticos teve de ser “tropicalizada” por um escritório de arquitetura local e gerenciado pela equipe da JLL no Brasil – ou seja, foi preciso adaptar as ideias aos produtos disponíveis no País.

O maior desafio do projeto foi justamente encontrar produtos semelhantes aos propostos pelos tailandeses, mas com preços acessíveis e a mesma qualidade”, afirma Cristianne Soler, coordenadora de Projetos da JLL.

O principal diferencial do projeto tailandês são os acabamentos das paredes, que são todos revestidos em BP (lâmina fundida à madeira). O material garante mais durabilidade, além de facilitar a limpeza e a manutenção. As cores estampadas no escritório também chamam a atenção. Todas – vermelha, azul, amarela e verde – fazem referência às marcas de bebidas produzidas pela Diageo.

Segundo Cristianne, o projeto é algo totalmente inovador no País. “O projeto da Diageo é diferenciado em todos os sentidos. Por vir da Tailândia, torna-se único, porque há várias especificações novas, que nunca tínhamos lidado. Fico muito feliz de ter trabalhado nesse projeto. Tenho sete anos de gerenciamento de projetos e, para mim, esse é um dos mais bonitos”, comenta Cristianne.

Um bar para trabalhar

Reuniões e happy hour se misturam no 14º andar do edifício em que fica o escritório da Diageo. Lá está o novo bar, construído na segunda parte do projeto. O ambiente foi feito para que os funcionários degustassem as bebidas produzidas pela empresa britânica e pudessem, ao mesmo tempo, conversar sobre negócios. No andar, foram construídas sete salas de reunião, além de uma cozinha de apoio para o bar.

A pedido da Diageo, a iluminação do andar foi toda automatizada e integrada com o áudio visual das salas de reunião – os cenários são alterados de acordo com a proposta do evento que é feito.

“O termo Diageo vem das palavras grega dia e mundo. Eles falam que, todo dia, em qualquer lugar do mundo, as pessoas estão celebrando a vida. A instalação do bar dentro da área corporativa é estratégica para a divulgação dos produtos e todas as suas possibilidades. O espaço é utilizado para criação e degustação de receitas inéditas”, sugere Christina Coutinho, gerente de Projetos da JLL.

Para degustar as bebidas, entretanto, há regras. “A Diageo administra o espaço do bar com extremo cuidado. Eles prezam pela ética e sempre consomem as bebidas com responsabilidade”, explica Christina.

Conclusão do projeto

Na última fase do projeto, uma nova concorrência de construção foi aberta para estimular a competitividade e reduzir os custos de obra. A decisão estratégica assegurou a finalização dos quatro andares dentro do budget inicial acordado, sem perda de qualidade. Com as economias obtidas foi possível atender demandas da Diageo para incrementar o ambiente do Bar, para citar algumas, automação da iluminação, prateleira de produtos com iluminação de leds  e controle de cores, e integração de áudio e vídeo.

Todos os prazos foram cumpridos. O trabalho, incluindo primeira e segunda fases, foi entregue em aproximadamente um ano e meio de trabalho. No total, a obra – incluindo bar e escritórios – contempla uma área de 5 mil metros quadrados e é projetada para abrigar 400 funcionários.

A parceria com a JLL foi essencial para o sucesso do projeto, não somente pela complexidade mas também pela singularidade da obra. A atenção aos detalhes, o comprometimento com os prazos e orçamentos e a dedicação do time fizeram do projeto “De Casa Nova” um motivo de orgulho e satisfação da Diageo Brasil”, afirma Wilson Martini, Facilities Manager da Diageo.