Empresas da área da saúde: espaços que influenciam nas relações humanas

Leitura de 4min

A influência das questões imobiliárias nas relações humanas que envolvem as empresas da área de saúde foi o foco central da palestra de Washington Botelho, managing director Latim America da JLL, no III WTC Fórum de Saúde. O evento aconteceu no dia 07 de junho de 2018 e teve como tema “A sustentabilidade do atual modelo do sistema de saúde”.

Em sua apresentação, Botelho abordou três principais pontos:

  • Resultado de pesquisa sobre futuro do trabalho realizada pela JLL;
  • Placemaking e tendências do mercado de saúde;
  • Como a gestão de facilities pode contribuir para transformar as empresas da área da saúde.
Washington Botelho palestrando no III Fórum da Saúde

Washington Botelho palestrando no III WTC Fórum de Saúde

Tendências do futuro do trabalho

Em 2016, a JLL desenvolveu uma pesquisa com cerca de sete mil pessoas, em mais de 40 países, sobre o futuro do trabalho e os resultados passam por aspectos, como:

  • Engajamento digital – esta é uma tendência e é irreversível. Aproveite a automatização e os diferentes dados gerados para melhorar o desempenho dos funcionários e das empresas;
  • Inovação contínua – Combine ideias, soluções e processos inovadores para impulsionar a criação de valor e acelerar a transformação;
  • Excelência Operacional – Otimize os recursos da empresa e o fornecimento de serviços para aumentar a produtividade, mitigar riscos e garantir alto desempenho;
  • Desempenho Financeiro – Gerencie gastos para possibilitar o crescimento e melhorar o Retorno sobre o Investimento (ROI);
  • Experiência humana – Melhore a experiência do usuário por meio de engajamento, empoderamento e felicidade.

Placemaking nas empresas da área da saúde

Placemaking é a arte e a ciência de criar espaços acolhedores para moldar a interação e o engajamento do funcionário, do paciente e da família. Com esse conceito em mente, Botelho, durante sua apresentação no III WTC Fórum de Saúde, tratou sobre como fazer para que o hospital tenha um ambiente que propicie às pessoas uma experiência positiva.

“Os pontos de tomada de decisão sobre, por exemplo, voltar a utilizar os serviços daquele hospital, bem como os pontos de satisfação dos clientes no ambiente hospitalar, são os pontos de contato com as pessoas”, explica.

“Às vezes, estamos tão focados em sistemas que não olhamos os pontos de contato que temos com os clientes”,complementa o executivo, ao reforçar a importância de considerar as relações humanas também na escolha dos espaços físicos.

Ainda sobre ambientes, o palestrante apontou os próximos passos do setor imobiliário para as empresas da área da saúde:

  • Capitalização dos cuidados de saúde: apostar em espaços menores de atendimento para criar ambientes voltados para o relacionamento com o cliente de forma diferenciada;
  • Crescimento das fontes de capital: investimentos privados, fundos de investimento, fusões e aquisições no setor;
  • Contínuo crescimento do setor imobiliário: o setor imobiliário de saúde continuará a crescer em um tipo de ativo principal – foco no aumento de centros, clínicas e laboratórios especializados.

Gestão de facilities nas empresas da área da saúde

Washington Botelho também falou sobre como a gestão integrada pode ajudar as empresas da área da saúde a cumprir três objetivos:

  • Eficiência operacional e financeira – reduza o custo per capita dos cuidados, como por exemplo, minimizar as despesas com energia e manter um ambiente limpo, confortável e seguro, com processos, tecnologia e relatórios para assegurar melhores decisões da liderança;
  • Produtividade e experiência – cuidar dos funcionários impacta na produtividade e geração de receita. Invista em locais de trabalho seguros, colaborativos e com pessoas mais felizes;
  • Redução de riscos – Identifique e corrija questões de conformidade e segurança, além de automatizar a gestão de dados dos seus imóveis.

Para assistir às palestras do III WTC Fórum de Saúde, clique aqui.