Escritórios decorados: inovação da JLL e Tétris para atrair o interesse de locatários

Leitura de 5min

A atuação conjunta da área de gerenciamento de propriedade da JLL e a Tétris permitiu a instalação de escritórios-modelo em empreendimentos em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A vacância nos prédios de escritórios corporativos sob gestão da JLL é uma preocupação, já que o custo de condomínio destas áreas vai para o proprietário pagar.

Conversando com os colegas da Tétris, tivemos a ideia de montar um escritório-modelo numa das lajes desocupadas para atrair a atenção de potenciais locadores”, diz Fábio Martins, diretor de Gerenciamento de Propriedades da JLL.

O primeiro escritório-modelo, que pode ser comparado a um apartamento decorado num empreendimento residencial, foi montado no edifício Sueste Plaza, localizado na Rua Joaquim Floriano, em São Paulo. Agora, há também espaços decorados no Centro Administrativo Santo Amaro, também em São Paulo, e no Condomínio City Tower, no Rio de Janeiro.

Em parceria com a Tétris, montamos esses ambientes sem custos para os proprietários, que são nossos clientes de Gerenciamento de Propriedades, com a intenção de ajudá-los a conseguir locatários. É uma forma de diferenciar o empreendimento e também acaba divulgando a qualidade dos serviços da Tétris”, explica Fábio Martins.

A Tétris, por sua vez, conseguiu mobilizar empresas parceiras, que forneceram móveis e itens de decoração em regime de comodato. Fábio Martins acredita que essa iniciativa demonstra o comprometimento da JLL com os clientes na busca de soluções para desafios e de melhores resultados.

Quem visita esses imóveis consegue ter uma noção de layout, divisão de espaço e da melhor utilização de materiais e mobiliário, o que é bem diferente do que ver um grande espaço vazio”, diz Fábio Martins.

Foto do escritório-modelo no Sueste Plaza: Anne Fernandes