Ficar ou mudar, eis a questão

Leitura de 5min

A decisão de mudar é do cliente, mas a JLL pode ajudar nessa decisão com análise stay X go.

Na hora de tomar decisões importantes, nada melhor do que contar com informações confiáveis.
Uma grande empresa que ocupa um mesmo escritório há 10 anos está perto de rever seu contrato de aluguel. O que é melhor ela fazer? Renová-lo por mais um período e ficar no endereço atual e evitando assim dores de cabeça? Ou não seria um bom momento mudar para um escritório mais moderno, já que o mercado de imóveis corporativos está com excesso de estoque, inclusive de prédios novos, favorecendo os ocupantes?

Dúvidas como essas sempre passam pela cabeça dos executivos das empresas, que têm de pensar também em contenção de custos, facilidade de acesso para funcionários, recursos que melhorem a produtividade, imagem corporativa, posicionamento mercadológico, entre diversos outros pontos.

Sempre que se depara com situações de revisão de contratos, a equipe de Representação de Ocupantes da JLL tem um caminho claro para oferecer ao cliente, antes de responder aos seus questionamentos.

Propomos realizar uma análise de Stay x Go, uma análise metodológica bem estruturada, que resulta em informações importantes para a tomada de uma decisão embasada e consciente”, afirma Yara Matsuyama Poli, responsável pela área de Representação de Ocupantes de escritórios da JLL.

Ela observa que, especialmente no atual momento de mercado, é bastante possível que uma empresa, que esteja na fase de revisão do aluguel, possa se mudar para um espaço de melhor qualidade, bem localizado, mais sustentável, que agregue recursos que propiciam interação e produtividade das equipes e ainda com custos de locação e condomínio semelhantes ou até menores. É o que chamamos flight to quality.”

Mas pode concluir também que é mais interessante ficar no endereço atual, negociando condições favoráveis com o atual proprietário.

Segundo Yara, a análise Stay X Go é sempre pertinente. Consiste numa busca de opções no mercado que atendem aos requisitos do cliente em relação às características técnicas, localização, expectativa de valor de aluguel, condomínio e IPTU, proximidade dos competidores e dos clientes, entre outros aspectos.

Se necessário, junto com a equipe da Tétris, uma empresa de design & build que faz parte do Grupo JLL, podemos apoiar o cliente na definição desses critérios, que deverão considerar os planos de crescimento, o programa de ocupação do espaço com tamanho das estações de trabalho, salas de reunião e áreas como showroom e copa”, observa Yara.

Com base nessas informações, a equipe da JLL faz um mapeamento de mercado e elabora uma primeira lista de opções. O cliente escolhe as que mais lhe agradam, e a JLL sai a campo para negociar com os proprietários dos prédios. Procura também o proprietário do atual escritório ocupado pelo cliente para negociar condições para uma eventual renovação do contrato.

“No final, apresentamos todas essas informações ao cliente e assessoramos na identificação da melhor alternativa, mas a decisão final de ficar ou mudar cabe unicamente ao cliente”, conclui Yara.

Foto: Shutterstock/ Andrey Popov