A substituição de equipamentos do sistema central de ar-condicionado do Centro Empresarial Cidade Nova, no Rio de Janeiro – conhecido como Teleporto – vai garantir uma economia estimada de até 20% em energia. Com um custo aproximado de R$ 4,2 milhões, a obra foi concluída em março deste ano e faz parte de um ciclo de investimentos idealizados e aprovados pelo síndico e proprietários em conjunto com a JLL, que também ficou encarregada da gestão de todo o processo, cujos principais objetivos foram tornar o edifício um empreendimento mais valorizado, competitivo e rentável.

Com maior eficiência energética, melhor conforto ambiente e riscos minimizados, vamos tornar o Teleporto muito mais competitivo. O projeto levou em conta a principal característica do edifício, que é ocupado 24 horas por dia e abriga, entre outras, empresas de telemarketing e telecomunicações globais”, destaca Leandro Meireles, responsável da JLL pelo gerenciamento do empreendimento.

A concepção e a estrutura do ar-condicionado foram mantidas. A troca dos equipamentos “chillers” foi o ponto central e visou perpetuar e melhorar o sistema de “termoacumulação”, que acumula água gelada em período noturno e pelo reforço na climatização ambiente em período de pico de temperatura diurno, sendo uma espécie de contêiner, capaz de proporcionar temperaturas de conforto para os usuários durante a parte do expediente. Como o mesmo fabrica e armazena água muito fria, em torno de -10o C, essa água então é usada na estratégia para resfriamento das áreas privativas do Teleporto também no período em que as tarifas das concessionárias de energia são mais altas, das 17h às 20h, conhecido como horário de ponta. Cerca de 13 mil pessoas trabalham diariamente no edifício.

Ambiente humanizado

O ciclo de investimentos inclui ainda a revitalização da recepção principal, conferindo um visual mais moderno, eficiente e confortável ao edifício, construído há 20 anos na região portuária do Rio de Janeiro. As mudanças acompanham a revitalização da área promovida nos últimos cinco anos pela prefeitura e governo estadual, com ampliação de linhas de metrô e obras de infraestrutura, que atraíram grandes investimentos imobiliários.

A utilização de novas tecnologias, design arquitetônico moderno e uma boa apresentação são fundamentais para atrair novos ocupantes e manter os atuais”, afirma o gerente da JLL.

A recepção ganhou novos revestimentos de piso e paredes, áreas envidraçadas, detalhes cromados, iluminação moderna de lâmpadas LED e novo diretório com o nome das empresas. O projeto realizado em 2015 incluiu também mobiliário, quadros e novo paisagismo.

Locação a terceiros

Outra iniciativa proposta pela JLL e apoiada pelo síndico e proprietários contribuiu para aumentar os resultados para os investidores.

O Teleporto tem uma localização privilegiada, ligando o centro às demais áreas da cidade. É uma área muito procurada por empresas de telefonia móvel e internet para a instalação de antenas e transmissores. Propusemos e implantamos a padronização e adequações de processos na locação dos espaços, o que vem gerando maior rentabilidade”, informa Leandro.

Atualmente, são 120 contratos de locação para terceiros sob a gestão da JLL. A equipe da JLL no Teleporto faz o controle, atualização, inclusão de aditivos e correção dos valores desses contratos.

Foto: Alexandre Brum