Leitura de 7min

A gestão de um projeto dessa natureza exige foco, ferramentas de controle e expertise.

Cada vez mais enxutas, as empresas em geral não contam com recursos suficientes para acompanhar de perto o andamento de seus projetos e obras, como um novo escritório, adequação de pontos de venda, construção de um galpão ou instalação de uma linha de produção de uma indústria. A gestão de um projeto dessa natureza exige foco, ferramentas de controle e expertise.

Na JLL, atuamos com grande sucesso no segmento de gestão de projetos e obras. Contamos com um time de especialistas altamente capacitados e reconhecidos e usamos uma plataforma web global. Nosso processo, chamado de 5 fases, preconiza as melhores práticas da JLL e também se baseia nos requisitos do PMI (Project Management Institute), um processo reconhecido internacionalmente.

Nos últimos dois anos, executamos mais de 450 mil m2 de obras nas áreas industriais e de interiores corporativos de escritórios em edifícios de padrão AA, A e B. No segmento de varejo, principalmente para bancos, fizemos mais de 1.500 pontos de venda e, no ramo de hotéis, entregamos mais de 1.500 quartos.

O mais bacana é que executamos tudo isso mantendo o nível de satisfação dos clientes em 90%, um fator estratégico para a empresa, já que fideliza os clientes. Começamos 2017 com um pipeline de 30% de contratos. Muitos de nossos clientes nessa área voltam a contratar os nossos serviços, como o Goldman Sachs, que atendemos desde 2003. No Facebook, estamos no terceiro projeto, e a ACE Seguros também é um cliente recorrente.”

Mas o que faz o gerente de projetos e obras?

Em primeiro lugar, gostaria de esclarecer uma confusão que acontece com frequência em relação à terminologia utilizada. Nosso trabalho de gestão de projetos e obras da JLL também pode ser chamado de gerenciamento de obras, fiscalização de obras, coordenação ou supervisão de obra, PMO (Project Management Office). Todos esses componentes fazem parte da gestão de projetos e obras na JLL.

Nosso papel é representar o cliente na condução dos trabalhos, de forma independente e sem quaisquer vínculos com outros integrantes ligados ao projeto, como arquiteto, construtora, fornecedores de serviços e produtos. Somos um ponto focal em tudo o que diz respeito ao projeto e à obra e atuamos para defender exclusivamente os interesses do cliente, de forma justa e equânime.”

No atual momento de mercado, essa gestão profissional de projetos e obras ganha ainda maior relevância, porque agregamos para os clientes a tranquilidade de contar com especialistas no assunto e asseguramos um processo totalmente transparente, que pode ser auditado em qualquer fase ou a qualquer momento. A marca JLL representa essa garantia. Globalmente, a JLL foi considerada pela nona vez a empresa mais ética do mundo e, localmente, de forma muito exclusiva, foi uma das 25 empresas brasileiras que receberam o Selo Pró-ética, criado pelo Ministério Público Federal.

Por que é importante contar com um gerente de projetos e obras profissional?

Um dos ganhos importantes é a previsibilidade, da fase de planejamento até a conclusão da obra. Analisamos a necessidade do cliente, suas expectativas, orçamento e prazo para, então, fazer um planejamento realista. Pode ser uma grande armadilha começar um projeto com as expectativas erradas. Por isso, de acordo com o que o cliente espera, detalhamos e delimitamos claramente o escopo do projeto de forma simples, numa linguagem fácil de entender.

É muito importante engajar o gerente de projetos e obras desde o início, na fase de planejamento, como é comum ocorrer nos Estados Unidos. No Brasil, isso nem sempre acontece. Aqui, há empresas que contratam um escritório de arquitetura ou construtora para dar início ao investimento. Mas esses fornecedores podem não ter a visão global e integrada, e o cliente pode ser surpreendido com custos agregados ao longo do projeto ou com a necessidade de estender prazos.

Contar com um gerente de projetos e obras desde o início evita esse tipo de transtorno, porque nosso compromisso é o encadeamento do projeto dentro do escopo acordado com o cliente, para sua conclusão no prazo, no custo e na qualidade prevista, sem surpresas desagradáveis no meio do caminho.

Podemos assegurar essa previsibilidade graças a um cuidadoso planejamento de prazos, compras, contratação de serviços e definição e controle de riscos. Se houver qualquer mudança no escopo do projeto, fazemos uma análise do impacto no prazo, qualidade e custo e identificamos rapidamente riscos de eventuais desvios por meio de uma fiscalização constante da obra.

Adicionalmente, ajudamos o cliente a otimizar seu investimento, buscando alternativas eficientes e de melhor custo-benefício. Por meio da execução de engenharia de valor, podemos fazer uma revisão do projeto para reduzir custo, mas sem prejudicar a qualidade e funcionalidade. Em 2016, quando a crise exigia todo rigor em controle de gastos, ajudamos, por exemplo, um cliente a reduzir em 15% o custo de execução de um projeto industrial. No segmento de varejo, em escala de programa, a redução de custos variou de 35% a 10%.”

No caso de escritórios, podemos recomendar fazer desde o mínimo – mantendo o ambiente funcional e gastando R$ 900 por m2 – até o mais sofisticado, com sistemas de missões críticas, que envolvem a instalação de mesas de operação ou salas de TI e que podem atingir R$ 5.000 por m2. Essa mesma dinâmica de otimização e redução de custos aplicamos em projetos pequenos, desde 500 m2, até projetos maiores, com 10 mil m2 ou 100 mil m2.

 

Charles Nunes é engenheiro civil, PMP e  diretor da área de  Projetos e Obras da JLL. Foi reconhecido pela empresa como Top Gun de 2011 a 2016 por entregas acima das metas estabelecidas e por entregar valor excepcional para os clientes. Em 2015, recebeu outro prêmio inédito no Brasil, que foi o MVP (Most Valuable Player), que reconhece os melhores dos melhores no Brasil, Canadá, México e América do Sul.