Leitura de 5min

Nos últimos anos, os fundos imobiliários conquistaram a empatia dos investidores no Brasil.

Frequentemente, observamos na imprensa uma série de notícias relacionadas ao tema, destacando-o, principalmente, como uma das mais promissoras alternativas de investimentos. Hoje, em decorrência da própria situação econômica, essa modalidade se encontra em um estágio mais equilibrado, sem registrar sucessivos recordes em seus resultados. Isso, no entanto, não significa que os fundos imobiliários já conquistaram a maturidade necessária no mercado.

Na verdade, estamos falando de um segmento extremamente novo, quando comparado, por exemplo, aos Estados Unidos. Mesmo mantendo-se como uma excelente alternativa de negócio – em relação às demais ofertas de investimento existentes atualmente no país –, os fundos imobiliários agora exigem que seus procedimentos sejam aprimorados. Devido ao boom ocasionado durante os meses após o seu lançamento, a maioria das carteiras acabou sendo montada aleatoriamente, deixando a transparência praticamente em segundo plano.”

Para que os investidores, hoje mais acostumados com esse modelo de negócio, obtenham as informações necessárias sobre o empreendimento, creio que o primeiro passo seja a reformulação dos editais. As tradicionais letras minúsculas, nesse caso, podem facilmente ser substituídas por informações claras sobre o ativo do imóvel. Dados como endereço, locatário, características do imóvel, prazo de contrato de locação e metragem do espaço devem ser descritas com mais objetividade. A princípio essa mudança pode parecer irrelevante, mas certamente para o investidor faz toda a diferença.

Outra situação que contribui para que o investimento seja ainda mais seguro é a transparência nas informações relacionadas aos reais riscos desse investimento. Os índices de inadimplência em fundos imobiliários são raros, mas nada impede que eles ocorram. Nesse caso, tanto o investidor quanto os profissionais de agências bancárias, responsáveis por essa operação, devem estar totalmente conscientes e informados sobre a estrutura do negócio.”

Tão importante quanto os itens mencionados acima, são as avaliações rotineiras. Os fundos imobiliários devem analisar constantemente a qualidade de seus produtos. Esse trabalho pode ser feito por empresas especializadas, que tenham boa reputação no setor imobiliário. Uma avaliação prévia e bem feita é uma garantia para qualquer tipo de operação. Gerar mais segurança e transparência a todos os envolvidos nessa transação é uma das garantias para um sucesso ainda maior desse modelo de investimento.

Pedro Candreva é diretor comercial da JLL.