Inteligência de mercado pode driblar a crise

Leitura de 6min

Um bom trabalho de prospecção ativa resulta na ocupação de quase 75% da área disponível no Edifício City Tower, no Rio de Janeiro.

Um bom trabalho de prospecção ativa resulta na ocupação de quase 75% da área disponível no Edifício City Tower, no Rio de Janeiro.

Com uma estratégia de prospecção ativa baseada em inteligência de mercado e estreita colaboração com o proprietário, a área de Transações da JLL alcançou excelentes resultados na representação da comercialização do Edifício City Tower, localizado na Rua da Assembleia, 100, no centro comercial do Rio de Janeiro.

Em um ano, conseguimos alugar 73% da área que ficou disponível após a mudança da Petrobras, em 2014, o equivalente a 14 mil m2. É um desempenho excelente neste momento de mercado tão desafiador, com retração econômica, aumento significativo da taxa de vacância e com uma absorção líquida acumulada até o terceiro trimestre de 2015 de apenas 19 mil m² na cidade do Rio”, avalia Evie Kempf, gerente de Transações da JLL.

A JLL foi contratada pela São Carlos Empreendimentos e Participações – proprietária do imóvel e uma das principais empresas de investimentos e administração de imóveis comerciais do Brasil – para representação da comercialização do empreendimento com exclusividade. Desde 2005, a JLL é responsável também pela administração do Edifício City Tower.

Localizado em frente a uma estação de metrô, próximo à barca e perto da futura linha do VLT, a 2 quilômetros do Aeroporto Santos Dumont, cercado de boa infraestrutura de serviços, com lajes sem pilares que aumentam a eficiência do espaço, o Edifício City Tower tem ainda mais um atrativo: a certificação LEED Gold para prédios em operação, que indica eficiência na gestão do condomínio e redução do consumo de água e de energia, entre outros benefícios.

Mas foi a estratégia adotada na comercialização que fez a diferença.

Junto com a equipe de Pesquisa e Inteligência de Mercado, traçamos uma estratégia ativa e focada para identificarmos os potenciais ocupantes, como empresas que estavam pagando aluguéis acima do mercado, aquelas que desejavam consolidar seus escritórios e as que estavam instaladas em prédios antigos ou de qualidade inferior e que poderiam se beneficiar do atual momento do mercado”, observa Thais Martins, que liderou esse projeto.

Nos dois lados da mesa, mas sem conflitos de interesses

Entre as empresas que fecharam contratos no City Tower, estão seguradoras, resseguradoras, empresas de off-shore, da área de educação, de TI e um órgão público ligado à aviação. Uma delas, uma empresa de seguros, foi representada na negociação por uma outra área da JLL, a equipe que faz a Representação de Ocupantes.

Quando numa negociação as áreas de representação do ocupante e a do proprietário estão com a JLL, informamos ambos os lados desde o início do processo a fim de garantir total transparência. São áreas diferentes que buscam, se possível, chegar a um acordo, mas sempre defendendo os interesses do seu cliente, o futuro ocupante, de um lado, e o proprietário, de outro”, explica a analista Clara Szarvas, da área de Representação de Ocupantes.

Segundo ela, o City Tower atendeu muito bem às necessidades da empresa de seguros. “Em três rodadas de negociação, fechamos o contrato de locação de dois andares, num total de 1.354 m2, por cinco anos”, informa Clara.

Parceria de resultados

A gerente comercial da São Carlos Empreendimentos e Participações, Flávia Montemór Moreira, destaca que os resultados obtidos no City Tower são fruto de uma parceria de muitos anos com a JLL. Confira, a seguir, como Flávia analisa esse relacionamento.

Por que a São Carlos escolheu a JLL para representá-la com exclusividade na locação do City Tower?
Flávia Montemór – Porque temos uma parceria de muitos anos que vem obtendo ótimos resultados. A JLL é um dos players mais importantes do mercado imobiliário corporativo, contando com uma equipe muito profissional e que cultiva excelentes relacionamentos.

Qual a avaliação da São Carlos a respeito do desempenho da JLL na locação do City Tower em um ano desafiador?
FM – A JLL vem realizando um excelente trabalho na locação do City Tower, fruto de seu comprometimento e de uma atuação focada e assertiva, que também demonstra como é importante estar aberto a parcerias.

Como JLL e São Carlos atuam juntas para viabilizar as locações?
FM – A JLL e a São Carlos são empresas muito atentas ao mercado e não perdem boas oportunidades. O excelente resultado dessa parceria certamente se deve a esse cuidado e atenção das empresas.

Como responsável pelo gerenciamento da propriedade, em que medida a JLL tem contribuído para aumentar a atratividade do empreendimento?
FM – A equipe da administração predial atua de forma extremamente profissional, procurando atender o ocupante da melhor forma possível, principalmente em quesitos que são essenciais para os clientes, como qualidade, conforto, segurança e gestão de custos.

Foto: Alexandre Brum