O mercado imobiliário corporativo segue em alta na capital paulista, impulsionado em larga escala pelo bom momento da economia e pela forte demanda por edifícios de alto padrão com escritórios modernos e bem localizados. Uma das regiões com maior investimento fica no cobiçado quadrilátero formado pelas Avenidas Juscelino Kubitscheck, Faria Lima, Cidade Jardim e Nações Unidas, onde a JLL atua em vários empreendimentos. Um deles é o Edifício JK 1600, que promete ser um marco arquitetônico em São Paulo.

Alta liquidez

Localizado na Avenida Presidente Juscelino Kubitscheck, o JK 1600 é um dos grandes destaques do mercado imobiliário em 2012.

É um prédio que foi preparado para longa durabilidade, com baixa manutenção. O JK 1600 se tornará um novo ícone em São Paulo. As áreas de Negócios Imobiliários e Gerenciamento de Propriedade da JLL trabalharam juntas, por quase um ano, para trazer o edifício ao nosso portfólio de clientes”, afirma Pedro Candreva, diretor da JLL, empresa responsável pela locação de quatro andares da torre.

A euforia do executivo é bem embasada. Além da localização privilegiada, no coração do polo corporativo do Itaim Bibi, na zona sul da cidade, o empreendimento possui área total locável de mais de 12,7 mil metros quadrados em uma região aonde o preço médio de locação de imóveis corporativos pode chegar a R$ 160 por metro quadrado. “O JK 1600 será uma referência do setor imobiliário, com alta liquidez e longa vida no mercado”, complementa Candreva. O condomínio deve receber os primeiros ocupantes em julho.

Gestão especializada

Ficha completa

Com 15 andares, lajes de 852 metros quadrados locáveis, cinco subsolos de garagem com 376 vagas e um teatro com acesso independente e capacidade para 200 pessoas, o Edifício Condomínio JK 1600 é um empreendimento de alta qualidade, com 26,3 mil metros quadrados de área construída em um terreno de 2,8 mil metros quadrados. Em fachada de vidro, o prédio possui piso elevado com estrutura metálica, forro mineral, controle de acesso, serviço de port coucher para visitantes, ar-condicionado tipo VRF, sistema de elevadores e escadas independentes entre subsolos e torre.

Ecotecnológico, o prédio disponibiliza aos usuários bicicletário, vagas preferenciais para veículos menos poluentes, elevadores com sistema de chamada antecipada, iluminação com controle de potência, sistema de automação e segurança integrado com supervisão 24h e consumo de energia controlada. A construção foi realizada pela Hochtief do Brasil, com base em conceitos sustentáveis, visando a certificação LEED. O projeto é do escritório de arquitetura Aflalo & Gasperini. A incorporação é da Etoile, Grifo Empreendimentos e VR Investimentos.

A JLL também será responsável pela administração predial do edifício.

Nosso escopo vai da parte financeira, como elaboração de budget, fechamento financeiro e atendimento a auditorias, até a contratação e gerenciamento de todos os serviços operacionais”, informa Fábio Martins, diretor de Gerenciamento de Propriedades da JLL. “Temos um gerente predial e um assistente in loco para cuidar do JK 1600 e coordenar as empresas que prestarão serviços de segurança, limpeza, estacionamento e vigilância, entre outros”, diz Pedro Candreva, diretor da JLL.

Para os executivos, porém, o grande diferencial, está na forma como a JLL realiza a gestão. Empreendimentos de alto padrão e tecnologia de ponta devem ser tratados como se o imóvel fosse uma empresa e o gestor o executivo do negócio – receita que a JLL segue sempre à risca. “A gestão especializada reduz custos operacionais, contribui para a rentabilidade do imóvel, melhora o desempenho e a vida útil das instalações e aumenta a satisfação e a retenção dos locatários”, afirma Fábio Martins. “A expertise da nossa gestão é incontestável. Temos o que o mercado quer”, comemora Candreva.