Leitura de 5min

Home Office traz qualidade de vida para colaboradores e permite acompanhar o crescimento do efetivo sem necessidade de investir em espaços maiores

Mais do que apenas um benefício para os funcionários, por contribuir para o seu bem-estar e o equilíbrio entre a atividade profissional e a vida privada, a adoção da prática do trabalho remoto (home office) também é uma ferramenta para as empresas flexibilizarem o uso de seu escritório, pois possibilita o crescimento do efetivo sem obrigatoriamente investir num espaço maior.

Para ilustrar, vamos falar de nossa própria experiência. Na JLL, criamos a política de trabalho de remoto em 2013 e, hoje, cerca de 30% de nossos profissionais trabalham remotamente, seja de maneira parcial (até dois dias na semana) ou total (todos os dias da semana).

Nas grandes cidades, o trânsito influencia diretamente na qualidade de vida das pessoas. Dispendemos aproximadamente duas ou mais horas diárias em deslocamentos, seja em nossos carros em engarrafamentos ou no transporte público. E isso afeta diretamente o nosso humor e produtividade. Logo, essa modalidade de trabalho é vista como uma opção para ganharmos qualidade de vida como também é uma oportunidade de otimizar nossos escritórios, a fim de suportar nossa estratégia de crescimento de médio e longo prazos.

Com a consolidação da prática do trabalho remoto, possibilitaremos a flexibilidade para gerenciar esse crescimento, ao mesmo tempo em que contribuiremos com a qualidade de vida dos funcionários. O trabalho remoto permite ainda ampliar nossa presença geográfica sem necessariamente ter que investir na abertura de escritórios locais.

Por isso, estamos trabalhando na conscientização e sensibilização dos funcionários e gestores para aumentar a adesão ao trabalho remoto, o que já é uma tendência nas grandes cidades.

Quem atua na modalidade de home office tem os mesmos direitos e deveres dos trabalhadores que exercem suas funções nas instalações da empresa, seja num escritório, numa fábrica ou ponto de venda. Por isso, para bons resultados para a empresa e para os funcionários e, para evitar riscos, é preciso ter regras claras. Assim, o primeiro passo na JLL foi a definição de uma política de trabalho remoto. Avaliamos os escopos de trabalhos que podem ser realizados a distância e o perfil do profissional.

A decisão de aderir a essa modalidade de trabalho deverá ser tomada em comum acordo entre funcionário e gestor, que será o responsável por acompanhar o desempenho e a produção do funcionário.

Desta maneira, entendemos que o trabalho remoto é uma ferramenta moderna de gestão, que contribui para o crescimento do negócio, além de motivar, atrair e reter talentos.

 

Fábia Colon é Diretora de Recursos Humanos da JLL.

 

Foto: Felipe Corvello