Pesquisa First Look aponta crescimento no mercado de locação de condomínios logísticos de alto padrão

Leitura de 4min

Houve redução da taxa de vacância, que ficou em 22,7% no terceiro trimestre

O mercado de locação nacional de condomínios logísticos de alto padrão apresentou melhoras no terceiro trimestre de 2018, com poucas  devoluções de espaços, segundo a “First Look – Industrial Alto Padrão”, pesquisa publicada pela JLL.

De acordo com Eduardo Miyamoto, coordenador da área de Pesquisa e Inteligência de Mercado da JLL, uma das razões para o crescimento é o cenário econômico.

Apesar de ser um ano de eleições, a economia deu alguns sinais de melhora no terceiro trimestre, elevando também a perspectiva de crescimento das empresas”, comenta o especialista.

Essa melhora no cenário econômico e as expectativas criadas nas empresas fizeram com que o volume de devolução de condomínios logísticos de alto padrão diminuísse, contribuindo para a redução da taxa de vacância, que ficou em 22,7% no terceiro trimestre. No trimestre anterior, esse dado estava em 23,7% (veja o relatório First Look – Industrial Alto Padrão do segundo trimestre de 2018).

Miyamoto conta que outros dois fatores também impactaram diretamente na redução da taxa de vacância, a diminuição no ritmo de entrega de novos galpões e as novas locações.

Entrega de novos galpões

A estimativa do mercado era de que 743 mil m² fossem entregues durante 2018 em todo o Brasil. No terceiro trimestre do ano, houve entrega de apenas 17% desse volume (no primeiro, de 23%, e, no segundo, de 13%). Ou seja, o quarto trimestre ficará com o maior volume de entregas do ano.

Essa é uma perspectiva do mercado. A JLL acredita que as entregas fiquem um pouco abaixo disso até o final do ano”, pondera Miyamoto.

A companhia ainda espera que parte dos 346 mil m² previstos para o último trimestre sejam postergados para 2019. Como a construção de galpões para áreas industriais ou logísticas ocorre de forma rápida, conforme explica o executivo da JLL, muitos proprietários de terrenos já estão com os projetos prontos, apenas aguardando o momento certo para construir.

Locações em alta

Um movimento que tem chamado a atenção é o de empresas em expansão e/ou em busca de espaços de alto padrão, como acontece com o setor de e-commerce.

Por conta do constante aumento nas compras online, muitas empresas estão devolvendo galpões menos eficientes e locando espaços maiores e com padrão mais elevado para a instalação de seus centros de distribuição”, menciona Miyamoto.

Essa movimentação de expansão e busca por locais de melhor qualidade (flight to quality) contribui bastante para o mercado de alto padrão ter uma absorção líquida positiva e ainda colabora com a redução da taxa de vacância.

Destaques por região

No terceiro trimestre de 2018, cinco estados são responsáveis por 87% das novas locações de condomínios logísticos de alto padrão. São eles:

– São Paulo;
– Paraná;
– Rio de Janeiro;
– Minas Gerais;
– Pernambuco.

Desses, o Paraná se destaca como um dos principais no cenário de movimentações, com 89 mil m² de locações, atrás apenas de São Paulo. Miyamoto comenta que esse é o segundo trimestre consecutivo que o Paraná se sobressai em locações em relação aos demais estados (no segundo trimestre, figurou em terceiro lugar no ranking de locações de condomínios logísticos de alto padrão).

Como é um estado menor e com menos movimentação de locação, quando há uma grande transação na região, o impacto nos números é grande. Foi o que aconteceu no segundo e no terceiro trimestres deste ano no Paraná”, explica.

Com isso, o Paraná registra 179 mil m² de locações no acumulado do ano, atrás de São Paulo, que acumula 747 mil m², e do Rio de Janeiro, com 186 mil m² locados.


Veja também:

Mercado de locação de escritórios de alto padrão apresenta melhora em São Paulo