Implantar no Brasil modelos de ambiente de trabalho mais dinâmico – alinhado aos padrões da matriz e de outras unidades mundiais – é hoje uma tendência. Com a Pfizer não foi diferente. A ampliação dos espaços, com a extinção das divisórias, foi uma das iniciativas adotadas pela empresa seguindo as diretrizes do conceito i-Space, mais conhecido no mercado como Agile New Workplace – em que todos partilham o princípio de não ter estações de trabalho fixas –, implantado de forma bem-sucedida e pioneira no Brasil pela JLL na Philips.

Esse novo conceito deixou 80% das estações de trabalho livres, permitindo ao funcionário se instalar com seu computador e seu ramal em qualquer um dos espaços destinados a sua área ou não. Além de estimular a troca de ideias, essa disposição ajuda na interação entre diferentes áreas da companhia”, conta Cristiano Mantovani, gerente de Facilities da Pfizer.

Para que o processo de mudança fosse bem-sucedido, a Pfizer contou com todo o apoio e a expertise da JLL. Segundo Patrícia Buzzetto, da área de Gestão e Projetos da JLL, líder deste projeto, o maior desafio foi realizar a reforma do espaço com todos os usuários em operação. “Para não prejudicar o desempenho dos funcionários, tivemos de criar um pulmão de operações”, explica, ao mencionar que o resultado desse trabalho, com duração de um ano, foi oferecer um layout mais integrado, contemporâneo, flexível e também ergonômico.

O prédio tem quatro pisos, com mais de 500 colaboradores trabalhando diariamente. A reforma ocorreu por andares e a JLL teve papel fundamental em conduzir essas mudanças sem que houvesse interrupções no dia a dia e na manutenção do prazo de entrega de nosso projeto”, acrescenta Mantovani. Ele conta que a principal motivação para a mudança foi promover maior integração e comunicação entre os colaboradores, buscando incentivar um ambiente de trabalho mais dinâmico e que permitisse a realização de atividades com mais satisfação e criatividade. “Além de estimular a troca de ideias, essa disposição ajuda na interação entre diferentes áreas da companhia”, destaca.

Mais espaços colaborativos foram criados – 43 salas de reunião e 12 espaços informais – oferecendo aos profissionais uma diversidade maior no local de trabalho, além de promover a integração e troca de informações.

Os resultados práticos obtidos foram a redução de custos com a flexibilidade do espaço para atender ao crescimento, o aumento da produtividade por meio da comunicação sem barreiras, além da atração e retenção de talentos com um espaço físico mais moderno e agradável e equipado com tecnologias que facilitam a mobilidade”, reforça Patrícia.

A expertise da JLL no gerenciamento de obras nos deu a certeza de que o cronograma estabelecido seria gerenciado de maneira competente e com muita transparência”, avalia o executivo. “Tanto que fomos parceiros em outros dois projetos menores referentes à locação de propriedades, que foram concluídos no final de 2013”, conclui Mantovani.