Porto e pré-sal impulsionam mercado corporativo em Santos

Leitura de 5cidamin

O empreendimento, com mais de 16 mil metros quadrados de área construída, contará com 8,5 mil metros quadrados de área locável.

Desde o ano passado, investimentos públicos na ampliação e modernização do Porto de Santos e a febril expectativa em torno da exploração do petróleo no pré-sal vêm alavancando um expressivo crescimento econômico na cidade de Santos. De olho no mercado imobiliário, a Harte Realty e a Oásis estão construindo o Edifício Oceanic Santos, cuja locação e administração ficarão a cargo da consultoria imobiliária JLL.

O empreendimento, com mais de 16 mil metros quadrados de área construída, contará com 8,5 mil metros quadrados de área locável. O local, no bairro José Menino, é nobre, de fácil acesso, e fica próximo a uma escultura criada pela renomada artista plástica Tomie Ohtake, em homenagem à imigração japonesa, que se tornou referência na cidade. O plano de locação prevê que os andares, com áreas entre 517 e 739 metros quadrados, sejam ocupados por, no máximo, duas a três empresas. O valor estimado de locação é de R$ 92 o metro quadrado, o que é considerado um valor muito competitivo pelo produto que será entregue.

Pele de vidro e infraestrutura diferenciada

Além da localização privilegiada na avenida Presidente Wilson, com vista para o mar, o prédio será entregue com excelente infraestrutura técnica, incluindo piso elevado, ar-condicionado, forro modular com luminárias, gerador para áreas comuns e privativas, cinco elevadores e 170 vagas na garagem.

São diferenciais expressivos para o mercado de locação corporativa de Santos, mas eles não param por aí. O edifício terá pele de vidro, o que dará mais destaque ao empreendimento de 16 andares, cuja obra será concluída em dezembro de 2012.

A ideia é que o Oceanic Santos atraia grandes companhias de óleo e gás, energia, comércio exterior, transporte marítimo e do setor financeiro. Até hoje não há em Santos um empreendimento corporativo desse nível e com essa estrutura técnica para locação”, revela Paulo Casoni, Gerente de Locação da JLL.