Recuperação comedida dos mercados imobiliários no mundo deve continuar

Leitura de min

O atual cenário dos mercados imobiliários sugere uma desaceleração temporária da recuperação do mercado imobiliário ora em curso, de acordo com a última edição do Panorama do Mercado Global da JLL. Mas, com as perspectivas mais animadoras com relação à economia global, o sentimento mostra melhora, esperando-se, portanto, que o volume de transações de imóveis comerciais para 2012 se equiparem aos níveis robustos registrados em 2011.
Os volumes globais de investimento e locação caíram aproximadamente 20% no primeiro trimestre de 2012 em comparação com o primeiro trimestre de 2011. Esse recuo pode ser atribuído a uma resposta retardada à precaução maior por parte dos investidores e dos ocupantes corporativos durante a última parte de 2011. A falta de produtos disponíveis para investimento e a escassez de espaços de alta qualidade para locação, combinadas com a ausência de transações de grande porte, também reprimiram os volumes.

Apesar da aparente volatilidade no volume de investimentos registrado, uma série de grandes transações continua prestes a se concretizar. O volume do capital dedicado a imóveis é sólido, sendo esperados fluxos adicionais de outras classes de ativos. A confiança entre os investidores imobiliários está voltando e, embora os investidores continuem meio cautelosos, a maioria deles segue executando sua estratégia, embora com tempos mais longos para a conclusão dos negócios. Diante disso, estamos otimistas no sentido de que os volumes globais de investimento imobiliário permanecerão em patamares semelhantes aos de 2011, ao redor de US$400 bilhões. O maior avanço é esperado nas Américas, região em que os volumes poderão ser 10% a 15% maiores do que em 2011”, comenta Arthur de Haast, diretor do International Capital Group da JLL.

Um quadro misto no setor de locação

No primeiro trimestre de 2012, também os volumes globais de locação de escritórios caíram em torno de 20% em relação aos níveis registrados no primeiro trimestre de 2011. Os ocupantes corporativos seguem fortalecendo seus balanços e reduzindo seus custos operacionais, e continuam seletivos em sua atividade transacional. Os fracos volumes de locação nos principais centros financeiros, tais como Nova York e Londres, estão sendo compensados pela robusta demanda por parte de ocupantes corporativos em mercados emergentes como Pequim e São Paulo. Isso sugere que, no balanço final do ano de 2012, os volumes globais de locação de escritórios serão ligeiramente menores que os de 2011.

Mais fraco crescimento dos aluguéis de escritórios desde o início de 2010

Em face de um cenário de volumes de locação menores, o Índice Global de Escritórios da JLL, que monitora o desempenho dos aluguéis de espaços nobres de escritório em 90 importantes mercados, recuou para 0,5% de crescimento no primeiro trimestre de 2012 contra 0,8% no quarto trimestre de 2011. O crescimento dos aluguéis caiu em aproximadamente um terço dos mercados monitorados no primeiro trimestre de 2012 – o mais fraco crescimento desde o primeiro trimestre de 2010.
As Américas registraram o mais forte crescimento dos aluguéis, de 1,6% na comparação trimestre contra trimestre, ante o 0,2% verificado no Pacífico Asiático, sendo que na Europa, na mesma base de comparação, os aluguéis caíram pela primeira vez desde o quarto trimestre de 2009, com um declínio de 0,3%. O crescimento mais vigoroso se deu nos BRICS, no sudeste da Ásia e em cidades com atividades fortemente ligadas aos setores de tecnologia, energia e commodities. Em Pequim e Jacarta, os aluguéis tiveram crescimento de 49% na comparação ano contra ano, São Paulo 30% e Moscou 20%.
Comentando sobre a desaceleração geral do crescimento dos aluguéis, Jeremy Kelly, diretor de Pesquisa Global e autor do relatório Panorama do Mercado Global da JLL, disse: “Apesar da desaceleração do crescimento dos aluguéis no último trimestre, a maioria dos principais mercados deverá registrar elevação dos aluguéis em 2012. Em alguns mercados, tais como Pequim, São Paulo, Toronto e São Francisco, a expectativa é de crescimento na casa dos dois dígitos. Em nível global, os aluguéis de escritórios de alto padrão aumentaram 5% no primeiro trimestre de 2012 em comparação com o ano anterior e 11% ante os níveis da baixa do mercado no final de 2009. A taxa global de vacância de escritórios encontra-se agora em 13,4%, a menor em mais de dois anos. Com o número limitado de espaços de qualidade prestes a chegar ao mercado, a oferta continuará restrita”.

Setor varejista resiliente sustenta a procura por galpões e armazéns

A sólida atividade de consumo segue sustentando os mercados de imóveis de varejo e de galpões e armazéns no Pacífico Asiático. Apesar da atual pressão sobre os consumidores da Europa, seus mercados de imóveis de varejo e de galpões e armazéns de alto padrão têm mostrado resiliência. Nos EUA, a melhora observada no sentimento das empresas e do consumidor está ajudando a impulsionar a firme recuperação da demanda de locação de galpões e armazéns, o que, por sua vez, sustentará o crescimento dos aluguéis em 2012.
Os varejistas internacionais estão puxando a demanda de locação na Grande China ao se diversificarem em cidades secundárias e terciárias em crescimento. Essa tendência continuará evoluindo ao longo da próxima década, já que as principais cidades chinesas oferecerem oportunidades na área de imóveis comerciais, sustentadas pelo crescimento do consumo e pela transformação econômica. Para uma análise mais ampla, veja o recente relatório da JLL, intitulado China50, um estudo aprofundado de futuras oportunidades imobiliárias na China.

Sobre as perspectivas gerais para 2012, Jeremy Kelly acrescentou:

Os investidores continuam cautelosos, e com razão, depois da trepidação econômica que se estendeu por todo o segundo semestre de 2011. Os resilientes valores de capital e taxas de retorno de imóveis de alto padrão estão se mantendo firmes, o que indica a continuidade do forte interesse em ativos principais de alta qualidade e bem alugados. Salvo maiores surpresas econômicas, o mercado imobiliário global continuará em seu curso de comedida recuperação no restante do ano de 2012.”

Notas aos Editores:

• Desde 2008, o relatório Panorama do Mercado Global da JLL tem regularmente oferecido uma visão do impacto das forças econômicas sobre os mercados imobiliários do mundo todo. Esse relatório é uma combinação única de atualizações trazidas pelos profissionais que atuam diretamente nos mercados e de insights de nossa organização de pesquisa líder no setor.

• O Índice Global de Escritórios da JLL monitora o desempenho dos aluguéis de espaços nobres de escritório em 90 dos principais mercados das regiões das Américas, Pacífico Asiático e Europa.

• A pesquisa da JLL, intitulada Fluxos de Capital Globais (Global Capital Flows) fornece os mais recentes dados e perspectivas sobre os mercados de capital globais.

• O relatório China50 é o mais recente estudo gerado pelo World Winning Cities Research Programme (programa de pesquisa global de cidades vencedoras), da JLL, e avalia o aumento das oportunidades no segmento de imóveis comerciais em toda a China e não apenas em suas cidades primárias.