Repaginado, Porto Maravilha recebe primeiro edifício comercial e aguarda novos condomínios e hotéis

Leitura de 6min

Para atrair turistas e se transformar em âncora cultural da cidade, região portuária do Rio contará ainda com dois modernos museus.

O ambicioso projeto de reurbanização que promete modernizar a Zona Portuária do Rio começa a colher seus primeiros frutos.

Após uma fase inicial, com obras que incluíram a construção de novas redes de água, esgoto e drenagem, e uma segunda etapa – que contou com a demolição do Elevado da Perimetral -, agora chegou a vez da região do Porto Maravilha receber seu primeiro edifício comercial privado.

Projetado pela Tishman Speyer, o condomínio Port Corporate foi entregue em novembro, e seus 22 andares estão em pleno processo de locação.

O prédio deve ganhar companhia em breve. Segundo a Caixa Econômica Federal, atualmente há cerca de 20 outros empreendimentos sendo negociados.

O financiamento das obras do Porto Maravilha foi viabilizado através da maior Parceria Público-Privada (PPP) do Brasil. Na operação, o banco federal, por meio de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), arrematou, por R$3,5 bilhões, todos os Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs).

E é através desses títulos que os maiores projetos sairão do papel. A compra dos Cepacs permite a construção de prédios mais altos, chegando a 150 metros, como acontecerá na Avenida Francisco Bicalho.

Potencial turístico

Além dos diversos edifícios comerciais, outros destinados a hotéis também serão erguidos. Um deles, inclusive, já foi completamente comercializado. O empreendimento terá as bandeiras Ibis e Novotel e está sendo conduzido pela Odebrecht. A empresa também está desenvolvendo dois outros hotéis com as marcas Holiday Inn e Holiday Inn Express. Os hotéis, juntos, somarão quase mil quartos e permitirão acomodar a demanda que será gerada pelos novos escritórios da região bem como para atender a demanda turística da cidade que deverá crescer significativamente após os campeonatos esportivos no Rio.

A divisão de Hotéis & Hospitalidade da JLL será responsável pela supervisão da operação dos quatro hotéis, representando os interesses dos investidores.

Os organizadores do Porto Maravilha têm ótimas perspectivas no que diz respeito à exploração do potencial turístico do local. Acreditam que, por estar bem no Centro da cidade, a área será uma atração permanente para visitantes. Inclusive durante os campeonatos de 2016, que o Rio abrigará.

Para fortalecer essa vocação e transformar o Porto em uma das âncoras culturais da cidade, a região receberá projetos de grande impacto, como é o caso do Museu de Arte do Rio de Janeiro (Mar) e do Museu do Amanhã.

A estimativa é que este último, que está sendo erguido no Píer Mauá e terá cerca de 15 mil metros quadrados de área construída, seja visitado em seu primeiro ano de funcionamento – programado para ser 2015 -, por algo entre 350 mil e 400 mil pessoas.

Foto: ANDRE DURAO / Shutterstock.com