Tombado pelo patrimônio histórico de São Paulo, o prédio ocupado pela empresa Melhoramentos há quase 70 anos, na Lapa, em São Paulo, está sendo modernizado e adaptado. A empresa – que atua em segmentos como base florestal com produção de florestas e fabricação de fibras de alto rendimento, editora e segmento patrimonial – ocupará apenas o 2º andar de 4 pavimentos. No térreo, será criado um centro de memória, e os demais andares serão ocupados por outros usuários e para atividades culturais.

Conduzido pela equipe de gestão de projetos, o retrofit e restauro desse edifício histórico envolve também outras competências da JLL nessa consultoria, incluindo pesquisa de mercado, gerenciamento de propriedade (administração de condomínio) e Agency Leasing (posicionamento do produto no mercado e busca de ocupantes para as áreas excedentes). Cada uma dessas áreas é acionada, no momento adequado, pela equipe de gestão de projetos, que está atuando nesse prédio desde março deste ano. “A JLL está prestando uma consultoria completa à Melhoramentos na busca de soluções para todas as necessidades do cliente”, afirma Christina Coutinho, gerente de Projetos e Obras da JLL.

Uma das áreas da JLL que já contribuíram nesse projeto foi a de pesquisas.

Fachada do prédio da Melhoramentos antes e depois da reforma.

Fachada do prédio da Melhoramentos antes e depois da reforma.

Nossa área de pesquisas fez um estudo de opções de ocupação adequadas à região e analisou também o aproveitamento de parte do prédio para iniciativas voltadas à comunidade. A proposta da Melhoramentos é dar um novo significado ao prédio, que é histórico e um ícone no bairro da Lapa”, diz Christina. Caminhando nesta direção, o projeto prevê a criação de uma biblioteca para compartilhar a história da empresa e um centro de memória.

O projeto de restauro do prédio foi desenvolvido pelo escritório Guilherme Torres e ganhou o A’ Design Award. Segundo Christina, por envolver um patrimônio tombado, esse projeto traz desafios ainda maiores, porque têm de ser observadas rigorosamente as exigências dos órgãos públicos quanto à preservação das características originais do imóvel.

Fachada, cor, telhado, caixilhos, janelas e portas são alguns dos itens que devem ser preservados. As reformas ocorrem apenas internamente, com a demolição de paredes. A infraestrutura hidráulica, elétrica e de ar-condicionado está sendo totalmente modernizada e adaptada para suprir as novas necessidades do prédio, que passará a ser multiusuário.

“Por ser um edifício muito antigo, enfrentamos algumas situações incomuns em relação a projetos em lajes de escritórios”, observa Christina. Não há, por exemplo, documentação dos projetos civil, hidráulico e elétrico.

Isso aumenta o risco construtivo e exige muita perícia, gerenciamento de riscos e um controle financeiro ainda mais apurados para que as possíveis surpresas ao longo do trabalho não prejudiquem o projeto. Durante a demolição, descobrimos algumas vigas e pilares que foram escondidos com as reformas executadas ao longo de tempo. Estamos contornando essas situações, com soluções seguras e eficientes, mas sem impactar prazos e custos”, completa Denise Reisin, responsável pela gestão do projeto.