São Paulo lidera número de certificações verdes na América Latina e estimula ações sustentáveis nos empreendimentos

Leitura de 5min

Equipe especializada da JLL auxilia na implantação de projetos sustentáveis a partir da realidade de cada imóvel comercial.

Os mais de 190 empreendimentos em processo de certificação e os 47 já certificados com o selo Leed Neighborhood Development, em São Paulo, foram um dos destaques do setor imobiliário nacional, em 2013. Afinal, esses números contribuíram para que a cidade se tornasse a capital da sustentabilidade na América Latina, de acordo com o Green Building Council (GBC), ficando à frente de Santiago (Chile) e Buenos Aires (Argentina).

Dados do GBC também revelam que ao todo existem 109 empreendimentos certificados no Brasil, que hoje ocupa o quarto lugar no ranking mundial de construções certificadas – atrás somente dos Estados Unidos, China e Emirados Árabes Unidos. Fábio Martins, diretor da área de Gerenciamento de Propriedades da JLL, diz que esse resultado é satisfatório, mas que, independentemente da conquista da certificação, o mais importante é que os empreendimentos sejam comprometidos com sustentabilidade.

Não há dúvida de que, além de contribuir com a preservação ambiental, os programas de reciclagem, conscientização de funcionários e redução de consumo de energia geram ganhos operacionais e financeiros. Esses processos podem e devem ser implantados internamente, sem que haja necessariamente o objetivo da conquista do selo. Sendo a sustentabilidade um dos principais compromissos da JLL, estamos capacitados a auxiliar as companhias a adotar essas e outras ações com total eficiência”, diz.

Entre a série de iniciativas bem-sucedidas nesse sentido, Martins ressalta o caso do edifício City Tower, no Rio de Janeiro. Com apoio e comprometimento do proprietário, funcionários do prédio, locatários e seus profissionais, a JLL – na função de gestora de operações – deu início à implantação de procedimentos que resultaram na obtenção do selo LEED EB O&M Gold, certificando a eficiência operacional e a manutenção do um edifício, cujo resultado contribui para a redução dos impactos ambientais, além de garantir a qualidade de vida dos usuários.

Nosso objetivo é promover a sustentabilidade, que pode ser iniciada em um empreendimento a partir da simples coleta de lixo. Para que tenham sucesso, as ações precisam estar alinhadas à realidade. Não adianta ter como meta a certificação LEED quando existem vários quesitos em um prédio já existente que impossibilitam pontuar. Mas, sempre é possível desenvolver ações que encaixam dentro da rotina local e oferecem excelentes resultados”, explica o executivo, ao destacar o trabalho do Grupo Evolução de Sustentabilidade da JLL, criado em 2012, formado por time de especialistas em gerenciamento de propriedades da empresa.

A proposta do grupo é pesquisar e selecionar as melhores práticas e conceitos sustentáveis que estejam de acordo com a realidade brasileira e de nossos clientes em Gerenciamento de Propriedades, compartilhando as informações com outras áreas da JLL. Além de unificar dados, gerando resultados de grande impacto, a ideia é disseminar, entre os profissionais da empresa, o conceito de green building e de certificações e também os casos sustentáveis existentes, aplicáveis a todos empreendimentos”, justifica Martins.

Segundo ele, essa iniciativa tem promovido uma melhoria contínua com a introdução e divulgação de novas práticas. “O fato de São Paulo ser precursor na conquista de certificações sustentáveis gera mudanças positivas, como já observamos no Rio de Janeiro e em outros estados brasileiros. Caminhamos em uma direção que não tem mais volta, pois estamos criando uma nova cultura – a cultura da sustentabilidade”, finaliza o executivo.