Setor hoteleiro apresenta oportunidades na América do Sul

Leitura de 5min

A pesquisa destaca que algumas dinâmicas podem fortalecer os fundamentos do setor de hospitalidade nos próximos anos. Entre elas, estão citadas as perspectivas de melhora macroeconômica na Argentina, Brasil e, em menor escala, na Colômbia – com controle da inflação, retomada do crescimento e restauração da confiança do investidor. Adicionalmente, tem início um lento aumento dos preços do petróleo e de outras commodities.

A pesquisa South America Hotel Destinations, produzida pela JLL Hotels & Hospitality Group, aponta que, apesar das turbulências, existe um movimento de recuperação econômica nos principais mercados emergentes na América do Sul.

Segundo a pesquisa, muitos foram os fatores que afetaram o turismo na região no último ano. No campo da economia e da política, são apontadas as dificuldades ligadas à grande volatilidade – com algumas moedas depreciadas entre 30% e 50% em relação ao dólar –, queda nos preços do petróleo e de commodities e escândalos políticos e de corrupção. Além disso, houve um grave terremoto no Equador e a epidemia de zika vírus no Brasil.

Mas o relatório indica que o ambiente tempestuoso dos últimos anos parece estar ficando para trás. Apesar dos desafios, muitos dos destinos destacados no estudo da JLL Hotels & Hospitality Group registraram aumento de dois dígitos no número de turistas no ano passado. A ampliação nas rotas de pontes aéreas e os investimentos

Na infraestrutura dos aeroportos, combinados com a depreciação das moedas locais frente ao dólar, contribuíram para aumentar o número de viajantes”, diz Ricardo Mader, Diretor de Hotéis e Hospitalidade da JLL.

Em 2016, em dólar, não houve crescimento em alguns mercados, em razão das expressivas flutuações cambiais. Mas a análise ADR em moeda local mostra que alguns países registraram crescimento no desempenho de hospedagem devido ao incremento no turismo internacional e introdução de produtos globalizados na região. Nos principais mercados hoteleiros – Argentina, Brasil, Colômbia e Equador –, o desempenho do setor ficou acima do esperado.

A pesquisa destaca que algumas dinâmicas podem fortalecer os fundamentos do setor de hospitalidade nos próximos anos. Entre elas, estão citadas as perspectivas de melhora macroeconômica na Argentina, Brasil e, em menor escala, na Colômbia – com controle da inflação, retomada do crescimento e restauração da confiança do investidor. Adicionalmente, tem início um lento aumento dos preços do petróleo e de outras commodities.

Ricardo Mader, diretor da JLL Hotels & Hospitality Group para a América do Sul – que participou, em setembro, da conferência SAHIC 2016, no Equador, sobre oportunidades de investimentos na região –, destaca ainda que importantes transações vêm acontecendo nos principais mercados hoteleiros, onde fundos imobiliários e fundos privados de investimento estão adquirindo ativos hoteleiros de alta qualidade.

Essas transações demonstram o aumento da maturidade do setor hoteleiro sul-americano. Também são uma prova de que a região vem resistindo aos desafios e existem oportunidades de investimentos nos principais mercados”,diz Mader, que moderou uma sessão sobre as heranças dos principais eventos esportivos para a indústria hoteleira no Brasil e as perspectivas para o setor.

Clique aqui para ter acesso à pesquisa na íntegra.