Não é o ângulo reto que me atrai nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein.

A poesia de Oscar Niemeyer ilustra bem o novo escritório da Spencer Stuart, uma das maiores empresas de executive search do mercado, que vinha de um pequeno espaço e hoje ocupa metade do 11° andar do Edifício Landmark, no Brooklin Novo, em São Paulo. A concepção do design foi realizada nos Estados Unidos e cuidadosamente ‘tropicalizada’, obedecendo a cultura, o branding e os padrões Spencer Stuart.

No projeto, de 2011, a JLL foi mais que o olho do cliente, que estava há mais de 16 mil quilômetros de distância, em Chicago. A JLL serviu de interlocutora entre os times de arquitetos dos Estados Unidos, projetistas no Brasil e todos os stakeholders, sempre focando nos tripés de gerenciamento: budget, prazo, escopo.

A JLL coordenou ainda a unificação dos medidores de eletricidade, consolidando pequenas salas em um único espaço, com base em uma engenharia de valores para completar o budget no valor aprovado.