Tempo é dinheiro! Chegou a hora de avaliar como a retomada do mercado imobiliário atinge sua empresa

Leitura de 5.5min

Aquecimento do setor diminui disponibilidade de espaços e preços têm início de alta, mas ainda há boas oportunidades

O relatório First Look – Escritórios de Alto Padrão SP confirmou as projeções que a JLL já havia anunciado: o segmento de escritórios de alto padrão está aquecido na capital paulista e bateu recorde de crescimento em 2018. A vacância vem caindo e o preço pedido médio de locação, subindo. Isso significa que empresas com projetos de mudança de endereço precisam acelerar os planos para aproveitar o momento, antes que as condições de negociação fiquem menos favoráveis. Quem afirma é Yara Matsuyama Poli, gerente de Representação de Ocupantes da JLL.

“Os proprietários estão positivos em relação à retomada do mercado e adotam uma postura mais firme na hora da negociação. Eu diria que é a última chamada para quem quer se mudar”, alerta.


Esse movimento é mais acelerado em algumas regiões da cidade, casos de Vila Olímpia, Faria Lima, Itaim e JK, onde a disponibilidade de espaço é menor. Em outras áreas, como Berrini, Chucri Zaidan e Chácara Santo Antônio, há ainda valores mais atrativos e negociações mais flexíveis, segundo Yara.

Ainda é possível fechar bons negócios considerando essa situação do mercado. Se a empresa tem real necessidade de mudança, sobretudo em locais mais prime, a orientação é que acelere a tomada de decisão, pois a tendência é que as áreas vagas se esgotem rapidamente. Ou seja, quanto maior for a necessidade de expansão e quanto mais tempo demorar a aprovação do projeto, mais escassa ficará a oferta de imóveis”, indica.

Até quem não pretende mudar precisa estar preparado

Um exemplo do cenário apresentado por Yara ocorreu em 2010, quando a Faria Lima não apresentava vacância. Empresas com necessidade de expansão de seus escritórios tiveram que dividir a operação por falta de espaço.

“A disponibilidade é tão importante quanto a questão comercial”, aponta Yara. Por isso, a área de Representação de Ocupantes da JLL trabalha com uma série de ferramentas e análises, além de oferecer um serviço integrado com outras áreas, para auxiliar na elaboração do business case que a empresa utilize para aprovar a mudança de endereço junto ao seu comitê.


Um case bem-sucedido é da FOX, que precisou consolidar no mesmo endereço duas operações que funcionavam separadamente e ainda incluiu um estúdio de gravações no novo espaço. As equipes de Transações e Projetos e Obras da JLL atuaram de forma integrada, de modo a cumprir o escopo e o prazo com sucesso.

Outro desdobramento do aquecimento do mercado é a revisão de valores de aluguel. Inquilinos que negociaram valores para diminuir custos podem ser chamados para uma renegociação para adequar os preços à realidade atual.

Nesse sentido, a JLL também contribui com dados de mercado, para garantir que seja um valor justo. Além disso, ao fazer a negociação, resguardamos a relação entre proprietário e locatário, evitando desgaste entre as partes”, afirma Yara.

Segmento industrial também está aquecido

O mercado de galpões de alto padrão também apresenta pouca disponibilidade em São Paulo, segundo Rafaela Camacho, gerente de negócios da JLL. Regiões nobres como Vila Leopoldina e Lapa têm vacância quase zero e valores mais altos de locação.

“Esse tipo de imóvel é muito procurado por empresas que fazem entregas no mesmo dia. Por isso, quanto mais próximo da capital, maior a demanda e menor a disponibilidade de espaço”, afirma a executiva.

E não há perspectiva de haver novos produtos desse tipo na cidade. Rafaela aponta que grandes terrenos, em condições de virar centros logísticos, acabam abrigando edifícios residenciais ou comerciais.

Por outro lado, há oportunidades em cidades próximas à capital, como Sumaré, Jundiaí, Hortolândia e até Campinas. São regiões que desenvolveram muitos projetos e ainda têm disponibilidade. Há vacância em grandes condomínios de alto padrão e também Built-to-Suit – construção sob demanda.

No segmento industrial, o prazo de construção é menor, então ainda dá tempo de aproveitar o bom momento do mercado para as empresas que desejam consolidar suas operações logísticas ou industriais em um novo endereço antes da retomada de preços prevista para 2020, que dará mais vantagens ao proprietário. O importante é tomar a decisão o mais rapidamente possível”, declara Rafaela.

Se tempo é dinheiro, deve-se analisar todas as necessidades da empresa com a ajuda de profissionais que conhecem as movimentações do mercado. Eles estão capacitados a negociar de maneira imparcial, com o fornecimento de informações confiáveis para diminuir riscos, cuidando de toda a transação e até do projeto do novo local e das obras, além de fazer a gestão do empreendimento durante a sua operação.

“A solução integrada otimiza o tempo do cliente, que não precisa lidar com vários fornecedores, e pode acelerar etapas do processo, com atividades simultâneas”, diz Rafaela.