Vila Olímpia/Itaim: cresce o número de empreendimentos de alto padrão na região

Leitura de 5min

A mais recente pesquisa São Paulo Office Skyline, divulgada pela JLL em novembro, com foco nas regiões da Vila Olímpia e Itaim, mostra que juntas elas concentram o terceiro maior estoque de alto padrão da cidade.

A mais recente pesquisa São Paulo Office Skyline, divulgada pela JLL em novembro, com foco nas regiões da Vila Olímpia e Itaim, mostra que juntas elas concentram o terceiro maior estoque de alto padrão da cidade.

O estoque de prédios corporativos de alto padrão soma 687,7 mil m2, cerca de 16% dos 4,250 milhões de m2 da cidade de São Paulo. Nos últimos 12 meses foram entregues 118,2 mil m2 e estão previstos mais 106 mil m2 entre o final de 2015 e todo o ano de 2016. Ao final desse período, 19,2% do estoque estarão localizados na Vila Olímpia e no Itaim.

A pesquisa mostra que a taxa de vacância média na Vila Olímpia e Itaim é de 30,7% e que o preço médio pedido está em R$ 110,00/m2/mês, com queda de 6,7% em relação ao 3T2014 e de 1,4% em relação ao último quadrimestre.

A absorção bruta na região acumula 230 mil m2 desde 2012, o que representa 15% do volume total de São Paulo. Em 2015, até o fechamento do relatório da pesquisa, a absorção bruta foi de 90 mil m², o equivalente à segunda maior absorção bruta de SP, perdendo apenas para Alphaville.

Exclusividade JLL

A pesquisa Skyline segue um modelo patenteado pela JLL e é aplicada em grandes cidades do mundo e mostra o comportamento do mercado de escritórios. Desde 2014, passou a ser aplicada também em São Paulo, onde é feita por regiões. Em 2015, já foi publicada a Skyline com foco na Berrini e Chucri Zaidan e agora, em novembro, a pesquisa da Vila Olímpia e Itaim. As próximas pesquisas serão sobre as regiões Marginal Pinheiros e Barra Funda.

Além de informações gerais e demográficas da cidade, o estudo inclui um perfil detalhado com informações sobre os empreendimentos corporativos de alto padrão, transporte público, amenities e estrutura viária. Traz o perfil dos edifícios corporativos, com tamanho da laje, área disponível, ano de construção ou reforma, endereço e disponibilidade dos andares.

Foto: Shutterstock/ Spectral-Design