Uma organização norte-americana mantida pelo investidor George Soros será o primeiro ocupante da charmosa Villa Aymoré, um conjunto de nove casas tombadas pelo município do Rio de Janeiro e incluídas na Área de Proteção do Ambiente Cultural (Apac) da Glória e do Catete.

A locação foi viabilizada com a intermediação da área de Transações da JLL, e agora o projeto e a implantação das novas instalações da organização numa das casas, com cerca de 300 m2, estão sendo conduzidos pela Tétris – empresa de Design & Build do grupo JLL.

Estamos em fase de minuta, prestes a fechar mais uma locação com uma empresa do Paraná que pretende expandir sua atuação, indo para o Rio de Janeiro”, afirma a gerente de Transações, Evie Kempf. “Com este segundo ocupante, atingiremos 70% da área locada”, informa Gustavo Felizzola, executivo da Landmark Properties, proprietário da Villa Aymoré.

Segundo Evie, a JLL tem sido parceira da Landmark Properties desde o início do projeto de revitalização da Villa Aymoré.

Consideramos este projeto especial, pois, junto com a Landmark, elaboramos o plano de marketing e as ações de posicionamento do produto no mercado, além da estratégia de abordagem do público-alvo. Foi desafiador, mas consideramos o resultado satisfatório para um produto tão diferenciado”, diz.

 História preservada e muita tecnologia

Formada por casas geminadas de alto padrão, construídas entre 1908 e 1910 para a burguesia da época, a Villa Aymoré, localizada no bairro da Glória, a meio caminho do centro e da zona sul, pertence desde 2010 à Landmark Properties, que investiu na restauração e revitalização da área. O Hotel Turístico, situado na entrada da rua, foi incorporado ao conjunto da Villa e foi construído o Edifício Baronesa.

Somando as novas edificações, a Villa Aymoré totaliza, em seu novo formato, 9 mil m2 de área construída. As obras, que se estenderam de 2011 a 2014, foram acompanhadas por arqueólogos e pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade. Além do retrofit e reforço das estruturas, já que as casas estavam abandonadas há muito tempo, um dos grandes desafios era adaptá-las para a ocupação de escritórios corporativos modernos e providos das mais avançadas tecnologias, ao mesmo tempo respeitando o passado do lugar.

Cheia de história, charme e cercada de lendas – uma delas diz que ali morou a Baronesa de Sorocaba, irmã da Marquesa de Santos, ambas amantes do imperador Dom Pedro I –, a Villa Aymoré é o cenário da Casa Cor Rio 2015, no ano em que o evento comemora 25 anos. A Casa Cor Rio é uma boa oportunidade para o público conhecer e se encantar com a nova Villa Aymoré.

Foto: Jaime Acioli