Zona Leste mostra seu potencial imobiliário

Leitura de 5min

Zona Leste de São Paulo ganha plano de desenvolvimento e incentivo de investimentos da Prefeitura que visa estimular o potencial empresarial da região.

Desenvolver o potencial corporativo da zona leste de São Paulo. É com esse objetivo que a Prefeitura Municipal anunciou recentemente a criação e implantação de um novo programa de desenvolvimento da região, apoiado em incentivos fiscais. O projeto propõe a isenção de impostos para empresas que decidirem se instalar e gerar empregos locais, além da criação de uma infraestrutura de transportes. Com isso, a ideia é atrair empresas de call center, informática, educação e hotelaria, resultando na maior proximidade da população – que leva, em média, quatro horas/dia para deslocar entre a casa e a empresa – ao seu ambiente de trabalho.

O projeto de lei, enviado à Câmara Municipal, prevê a isenção total do IPTU, ISS na construção civil, além do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). As empresas interessadas terão até cinco anos para se habilitar e os incentivos serão válidos por mais 20 anos. Segundo José Victor Cardim, gerente da área de Transações da JLL, caso a iniciativa seja levada adiante – diferentemente de outras propostas feitas para o desenvolvimento da região e que não tiveram continuidade – será uma alternativa viável para as atividades operacionais mencionadas pela Prefeitura Municipal. “A isenção de impostos pode ser considerada um atrativo para as empresas. Um fato similar ao que ocorreu em Alphaville há alguns anos”, comenta.

Estimular os investimentos em novos empreendimentos comerciais na região também faz parte do projeto da Prefeitura, que pretende propor a capacidade de adensamento, sem o pagamento de outorga para o futuro estabelecimento de empresas. Isso significa uma possibilidade de construção quatro vezes maior do que é permitido hoje.

Outro atrativo da região, que merece destaque, é a sua atual estrutura de transportes e serviços. A Zona Leste conta com opções de deslocamento de ônibus e metrô, o que pode ampliar o interesse em investir no local”, acrescenta Cardim.

De acordo com o projeto, esse quesito tende a ser ainda mais beneficiado. Está prevista a construção de novos corredores de ônibus, como o da Radial Leste, Aricanduva e Celso Garcia, e da Linha 15-Prata – um monotrilho que liga Vila Prudente à Cidade Tiradentes, e o ABC e o Rodoanel Leste.

A educação também pode ser impulsionada pelos benefícios, resultando na criação de novos centros universitários”, ressalta o executivo. Dados da Prefeitura já indicam a atração de pelo menos cinco instituições na região, como a Universidade Federal de São Paulo e a Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) de Itaquera.

A proposta é de fato benéfica e para que seja eficientemente implantada e se mantenha no longo prazo é necessário que haja compromisso da administração municipal atual e futuras”, avalia Cardim.